segunda-feira, 24 de novembro de 2014

PM morre em hospital após ser alvejado a tiros em assalto a lotérica

Local do assalto
 Um Policial Militar morreu no Hospital Emec em Feira de Santana, após uma troca de tiros com dois assaltantes, que assaltaram uma Casa Lotérica, na Avenida Castro Alves, no centro de Santo Estevão, na manhã desta segunda-feira (24/11).

De acordo com clientes quem estavam no interior da instituição, dois homens anunciaram o assalto e quando o Policial Militar Ronaldo Pinho de Oliveira, conhecido como Cabo Pinho, lotado na 57ª Companhia Independente de Polícia Militar (57ª-CIPM) percebeu a ação houve a troca de tiros.
O policial foi socorrido para o hospital municipal local e em seguida transferido para o Hospital EMEC. A vítima foi atingida por dois. Policiais civis e militares fazem rondas na cidade na tentativa de prender os assaltantes que estavam a bordo de motocicletas.
 
Ronaldo Pinho era da turma de reservistas do 35º Batalhão de Infantaria (35º-BI), formada em Feira de Santana, em 1992. Entrou para Polícia Militar da Bahia no ano de 1992. Trabalhou por vários anos no município de Itatim até o ano de 2010. Foi promovido a cabo há 15 dias.

Moradores protestam na BA-001 por melhores condições na rodovia

Local do protesto
 Cerca de 60 moradores da Ilha de Itaparica protestaram em diversos trechos da BA-001 na manhã desta segunda-feira (24/11). De acordo com a Central de Polícia, os manifestantes interditaram a rodovia com queima de pneus e galhos por volta das 5h20.

O protesto aconteceu devido às péssimas condições da rodovia, principalmente nas imediações da praia de Tairu, localizada na região sudeste da ilha. A primeira manifestação foi encerrada por volta das 6h30.
 
Duas horas depois, o mesmo grupo de moradores seguiu com o protesto para o km 27 da rodovia, na entrada de Cacha Pregos.
Segundo a Central de Polícia, todas as manifestações foram encerradas por volta das 11h, mas o trânsito segue lento na região de Mar Grande, nas proximidades do Terminal de Bom Despacho. 
 
Mais protestos
Outra manifestação foi registrada na BA-522, em Candeias, na manhã desta segunda-feira (24). De acordo com a Central, motoristas de transporte alternativo da região fizeram piquetes e interditaram a passagem por volta das 10h. Os ônibus das empresas ATT e VSA, que atendem ao município de Candeias, tiveram de permanecer no acostamento durante o protesto, que foi encerrado por volta das 11h15. O motivo da manifestação não foi informado.
 
Informações do CORREIO 24 HORAS 

Mulher morre após carro colidir com caminhão-guincho na BR-324

Local do acidente
 Uma mulher morreu em um acidente na BR-324, próximo ao bairro de Valéria, na manhã desta segunda-feira (24). De acordo com informações da Polícia Rodoviária Federal, a vítima era ocupante de um veículo de placa AVH-4968 e seguia em direção a Salvador.

O carro, que tinha outros dois ocupantes, passou por cima do canteiro lateral, entrou na contramão e colidiu com um caminhão-guncho, que seguia no sentido contrário. O acidente aconteceu por volta das 9h. A mulher, que não foi identificada, morreu na hora. As outras duas pessoas tiveram ferimentos leves e foram socorridas por equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). 
 
Informações do CORREIO e foto: Reprodução/ TV Bahia

Cabeça de jovem é encontrada dentro de saco plástico no Feira X

Local do crime
 A cabeça de um jovem de 23 anos foi encontrada por volta das 6h deste domingo (23/11), dentro de um saco plástico, na Rua C17, na Vila Verde, no Conjunto Feira X, em Feira de Santana.

De acordo com sargento PM Joselito, a esposa de Marcelo Roberto Pinho, o Tenhiê, contou à polícia que ele saiu por volta das 11h da manhã de sábado para o trabalho, em uma borracharia no bairro Rua Nova, quando foi sequestrado por quatro homens que estavam com o carro dele, um Gol preto, Geração 5, de placa NXO-7987. O carro não foi encontrado.
 
Ainda segundo o sargento, a esposa da vítima recebeu um telefonema com número restrito por volta das 9h deste domingo avisando sobre o esquartejamento. Na ligação um desconhecido informou o local onde a cabeça estava e que o tronco e as pernas estão em outra cidade. Ele também disse que os braços estão em Feira de Santana, mas não descreveu o local.
O sargento disse ao Acorda Cidade que o saco plástico com a cabeça foi encontrado na frente da residência de um homem de prenome Michael, que está preso por tráfico de drogas. A polícia suspeita de que o ato pode ter sido um aviso ao traficante. A vítima, segundo a polícia, tem envolvimento com o tráfico de drogas. 
 
Este é o segundo caso de esquartejamento registrado em Feira de Santana neste mês. No dia 8 de novembro moradores do bairro Nova Esperança, encontraram as partes do corpo de um jovem identificado como Luiz Augusto Oliveira de Jesus, de 19 anos, por volta das 7h. A vítima foi esquartejada e colocada dentro de um saco de nylon. O corpo já estava em estado avançado de decomposição.
 
Fotos e informações do repórter Ed Santos do Acorda Cidade
 

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Ex-policial acusado de matar estudante é condenado há 8 anos em regime semiaberto

Juri popular
 O ex-policial Civil, João de Melo da Silva Junior, acusado de matar o estudante Gilberto Oliveira Carvalho Junior, na Rua castro Alves, no bairro Serraria Brasil em Feira de Santana no dia 26 de Fevereiro de 2005 foi condenado há 08 anos de prisão em regime semiaberto. Ele foi julgado no final da tarde desta terça-feira (18/11), no Salão do Júri, localizado no Fórum Felinto Basto.

O Júri foi presidido pela Juíza da Vara de Execuções Penais, Lisiane Souza, tendo como promotor público, Aodo Rodrigues e o advogado Abdon Abade. O julgamento teve inicio às 9 horas da manhã e acabou por volta das 18 horas.
 
O advogado Abdon Abade relatou que pediu ao juiz para classificar o crime como homicídio culposo, já que segundo o defensor João de Melo, não tinha intenção de matar e que arma teria disparado. “sabemos sim, que ele teve a imprudência no modo de como conduziu a sua diligencia policial”.
 
O promotor de justiça, Aodo frisou que a condenação de 08 anos no regime semiaberto estava previsto, mas a pena poderia ser maior pela gravidade do fato, porem a condenação resolveu imputar uma pena mínima de 08 anos no semiaberto, que é um regime menos rigoroso do que o regime fechado. “A defesa tem cinco dias para recorrer, caso não recorra, o condenado deve cumprir a prisão imediatamente no semiaberto”, informou o promotor. O regime semiaberto é quando o condenado trabalha um turno e outro cumpre na prisão.
 
O CRIME – Gilberto foi morto com um tiro no pescoço, no final de tarde de um sábado (26/02), após se envolver numa briga e dar um murro no cunhado do policial, identificado como Murilo. João de Melo estava de folga e bebendo em um bar, armado com uma pistola, perseguiu o estudante até a rua Castro Alves, onde alcançou o estudante, que de joelhos pediu para não ser assassinado.
No dia de sua prisão, o policial alegou que o tiro foi acidental, uma vez que ao apontar a pistola para Gilberto, este fez menção de agarrá-lo pelas pernas e ao tentar se defender, escorregou e a arma disparou. “A arma já estava engatilhada, já que havia feito um disparo anteriormente, para que ele parasse de correr”, afirmou o policial em seu depoimento ao delegado Willian Achan. 
 
“A decretação da prisão do policial só demonstra que a justiça está empenhada em punir o culpado pelo crime que cometeu e que não existe corporativismo. É uma vitória para a Justiça feirense que está dando uma resposta a sociedade e confirmando todo o trabalho realizado por mim e a minha equipe para esclarecer este crime”, frisou Willian Achan.
Na época João de Melo prestou depoimento, ao Juiz Paulo Sérgio Barbosa de Oliveira Melo, no Fórum Desembargador Filinto Bastos e relatou que não teve a intenção de matar o jovem. 
 
Acompanhado de seu advogado, o afirmou que o tiro foi acidental. “O tiro foi acidental, nunca pretendia fazer isso, sou uma pessoa que não gosta de festa, nunca passei por uma situação como esta, nem quando estava a serviço. Minha intenção era prendê-lo e conduzi-lo a delegacia, mas infelizmente aconteceu o acidente”. ratificou o policial. 
 
FAMÍLIA DA VITIMA - A família de Gilberto não esteve presente no julgamento com exceção da tia dele, Jailmira Oliveira de Carvalho. Segundo ela, os familiares sabiam que a pena aplicada não seria a que a todos desejavam. 
 
“Foi injusta. Para uns existe justiça e para outros não. Se fosse o filho ou a filha de João que tivesse sido moto por Gilberto, teria sido de propósito. Todo mundo viu a morte de Gilberto. Houve a reconstituição do crime, no qual foi mostrado que foi de propósito. Ele foi lá e tirou a vida do menino que estava de joelhos. Gilberto pediu por favor não me mate, mas ele optou por tirar a vida de meu sobrinho”, lamentou.

Familiares e amigos de comerciante morto em Feira pedem justiça

Manifestação
 Familiares e amigos do comerciante Fernando Silva Purificação, que foi assassinado no ano de 2012, em Feira de Santana realizaram na manhã desta terça-feira (18/11), no centro da cidade, uma caminhada em protesto pedindo justiça, no caso.

Os manifestantes estiveram na sessão ordinária da Casa da Cidadania, desta terça pedindo ajuda aos vereadores para que o acusado do crime, Adairton de Jesus Santos, seja mantido preso no Conjunto Penal, já que Adairton conseguiu a prisão domiciliar e segundo os familiares da vitima “ele está ameaçando os familiares da vítima e testemunhas que depõem contra ele na Justiça”. 
 
A sobrinha do comerciante, Michele Machado da Purificação usou, por 10 minutos,  o microfone da Câmara, para relatar os fatos e pedir apoio. “Meu tio era um trabalhador justo e honesto. Ele era muito querido em todo o distrito e, por causa de inveja, foi morto por aquele homem. Ele é prestador de serviço da Petrobras e, enquanto estava no presídio, ocupava uma sela especial e depois conseguiu a prisão domiciliar, através de um laudo médico sem data, que consta que ele está sofrendo de insônia, hipertensão e necessita de fisioterapia da próstata”, afirmou.
O desespero e a dúvida levaram a família do comerciante a estamparem outdoors por diversos bairros da cidade, com a foto de Fernando, acompanhada de uma declaração e um apelo destinado ao poder público.
 
No mês passado, o suspeito de ser o mandante do crime foi ouvido em audiência no Fórum Desembargador Filinto Bastos, oportunidade que os familiares tiveram para realizar uma manifestação em frente ao órgão pedindo a solução do caso.
O comerciante foi morto com dois tiros na cabeça no dia 5 de março de 2012, no Conjunto Feira IV, próximo ao Condomínio Vila Olímpia, dentro do veículo que conduzia. No dia do crime, Fernando que morava no município de Pé de Serra, veio à Feira de Santana comprar mercadorias para sua panificadora e acabou sendo morto por dois homens em estavam em uma motocicleta.
 
INVEJA - Segundo a cunhada da vitima, Norma Machado da Purificação, o crime foi motivado por inveja. O acusado, conhecido em Pé de Serra apenas como Adailton, cobiçava o sucesso nos negócios de Fernando.
.
Em entrevista na última manifestação, Norma explicou que o apontado havia chegado em Pé de Serra meses antes do crime e abriu um comércio próximo ao de Fernando. Entretanto, o negócio não teve sucesso e ele passou a ter inveja da panificadora bem sucedida de Fernando e passou a espalhar boatos na cidade sobre a honra da vítima.
Dias antes do crime, Fernando havia sofrido uma tentativa de morte, mas conseguiu fugir. A família acredita que o mandante foi o autor dos tiros e, como não teve êxito, contratou outras pessoas para executar o crime.

Investigação
Meses após a morte um suspeito de atirar em Fernando foi preso pela Polícia. E Adailton, apontado como mandante, prestou depoimento em juízo no inicio do mês de outubro, mas não foi preso.

Polícia apresenta casal que transportava 350 kg de maconha e 9,5 kg de cocaína

Acusados presos
 foi preso transportando 350 kg de maconha e 9,5 kg de cocaína. Ricardo Barbosa, de 34 anos, e Priscila Carvalho dos Santos, 23, foram presos no bairro de Valéria, durante uma operação conjunta da PC por meio do Departamento de Narcóticos (Denarc) e Polícia Federal (PF). A droga apreendida é avaliada em R$ 500 mil e era transportada em uma caminhonete, informou a PC.

Ricardo e Priscila carregaram uma picape, em Irecê, distante 478 km de Salavdor, com 323 tabletes de maconha prensada e mais nove tabletes de cocaína, acondicionadas em sete sacos. Investigadores da DTE/Feira passaram a acompanhar o deslocamento do casal de traficantes a partir da cidade de João Dourado, até o bairro de Valéria, informou a Polícia.
Conduzidos para a sede da DTE, no Complexo dos Barris, Priscila e Ricardo foram autuados em flagrante por tráfico de drogas pelo delegado Omar Leal. Ricardo tem passagem pela polícia por tráfico e chegou a cumprir três anos e meio de prisão. Já Priscila foi presa em 2010, por roubo. Os dois já estão sistema prisional.